Dia: maio 22, 2012

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FINANCIAMENTO JUNTO À CAIXA ECONÔMICA

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FINANCIAMENTO CAIXA – TRAMITAÇÃO PROCESSUAL

DOCUMENTAÇÃO BÁSICA NECESSÁRIA PARA APROVAÇÃO DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO JUNTO A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

DOCUMENTAÇÃO PESSOAL DO(A) COMPRADOR(A) E CÔNJUGE, SE FOR CASADO(A), CÓPIA AUTENTICADA:

1 CÓPIA DA IDENTIDADE;
1 CÓPIA DO CPF.

DOCUMENTAÇÃO PESSOAL DO(A) COMPRADOR(A), CÓPIA :
2 CÓPIA DA IDENTIDADE DO(A) COMPRADOR(A) E CÔNJUGE, SE FOR CASADO(A);
2 CÓPIA DO CPF DO(A) COMPRADOR(A) E CÔNJUGE, SE FOR CASADO(A);
2 CÓPIAS DA CERTIDÃO DE NASCIMENTO OU CASAMENTO, SE FOR CASADO(A);
2 CÓPIAS DO COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA ATUALIZADO NO MOME DO(A) COMPRADOR(A) OU CÔNJUGE, SE FOR CASADO(A).
DOCUMENTAÇÃO PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA, CÓPIA:
3 ÚLTIMOS CONTRACHEQUES, PARA RENDA REGULAR;
6 ÚLTIMOS CONTRACHEQUES PARA RENDA VARIÁVEL;
3 ÚLTIMOS EXTRATOS DE CONTA CORRENTE
DECLARAÇÃO COMPLETA E RECIBO DE IMPOSTO DE RENDA;
3 ÚLTIMOS COMPROVANTES DE DESPESAS EM GERAL, EX.: CONTAS DE LUZ, ÁGUA, TELEFONE, CARTÃO DE CRÉDITO, ALUGUEL, ESCOLA, CARNÊS EM GERAL, ETC. (QUANTO MAIS COMPROVANTES DE DESPESAS DIFERENTES TROUXER MAIS FÁCIL SERÁ CONSEGUIR A APROVAÇÃO DO CRÉDITO)

OBS: SE O(A) COMPRADOR(A) FOR CASADO(A), O CÔNJUGE TRABALHAR E TIVER COMO COMPROVAR RENDA, TAMBÉM SERÁ NECESSÁRIO TRAZER A DOCUMENTAÇÃO ACIMA CITADA DO CÔNJUGE.

DOCUMENTAÇÃO PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA INFORMAL, CÓPIA:
DECLARAÇÃO COMPLETA E RECIBO DE IMPOSTO DE RENDA;
6 ÚLTIMOS EXTRATOS DE CONTA CORRENTE;
6 ÚLTIMOS COMPROVANTES DE DESPESAS EM GERAL.

OBS: SE O(A) COMPRADOR(A) FOR CASADO(A), O CÔNJUGE TRABALHAR E TIVER COMO COMPROVAR RENDA, TAMBÉM SERÁ NECESSÁRIO TRAZER A DOCUMENTAÇÃO ACIMA CITADA DO CÔNJUGE.

PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS, CÓPIA DAS SEGUINTES FOLHAS DA CARTEIRA DE TRABALHO:
IDENTIFICAÇÃO FRENTE E VERSO (QUALIFICAÇÃO);
CONTRATO DE TRABALHO;
OPÇÃO DE FGTS.
N° PIS / PASEP

OBS: SE O(A) COMPRADOR(A) FOR CASADO(A), E O CÔNJUGE COMPROVAR FGTS, TAMBÉM SERÁ NECESSÁRIO TRAZER A DOCUMENTAÇÃO ACIMA CITADA DO CÔNJUGE.

O VENDEDOR DEVERÁ APRESENTAR, ALÉM DE SEUS DOCUMENTOS PESSOAIS E DE SUA ESPOSA (IDENTIDADE, CPF E COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA) OS DOCUMENTOS DO IMÓVEL ( RGI ATUALIZADO, IPTU E CROQUIS OU PROJETO APROVADO)

O comprador deverá providenciar toda a documentação acima e comparecer em uma agência da Caixa Econômica de sua preferência. Não é necessário buscar uma agência do seu bairro ou do bairro onde o imóvel está localizado. A opção de escolha é livre.
O Gerente da Habitação irá analisar os documentos apresentados para aprovação do crédito imobiliário. Normalmente, a pessoa só pode comprometer 30% da sua renda declarada e comprovada. Nos dias atuais, a caixa e outras instituições adotam o que chamo de “Saúde financeira”. Importante o contra cheques comprovando a renda e o emprego mas também são aceitos comprovantes de pagamentos de cartão de crédito, movimentação bancária constante, pagamentos de escola, contas, etc. Assim, mesmo que você não tenha um emprego com carteira anotada, poderá comprovar sua saúde financeira demonstrando à Instituição que é pessoa idônia e cumpre com seus compromissos, além de ter condições de pagar o valor das prestações.
Superada essa fase, o Gerente irá sortear um Engenheiro/Arquiteto Avaliador que irá vistoriar o imóvel para constar: O valor declarado, as condições de segurança, higiene e moradoria, a legalidade do bem, o estado de conservação e ocorrência de vícios de construção, entre outros. Se o imóvel for aceito como garantia e com o valor de compra e venda confirmado pelo avaliador, será então agendada pelo Gerente a escritura. Na verdade o que se assina na Caixa é um instrumento de compra e venda que deverá ser levado a Registro de Imóveis para efetivar a transação. O valor financiado somente será liberado ao vendedor após apresentação da Certidão de Ônus Reais ao gerente comprovando que a Alienação Fiduciária, ou seja, Garantia em que o beneficiário transfere à CAIXA a posse indireta do imóvel em garantia de pagamento. A CAIXA conserva o domínio do imóvel alienado – posse indireta – até
a liquidação da dívida garantida. Após a quitação, o beneficiário adquire o direito de
propriedade definitiva do imóvel.
Na apresentação do Instrumento de compra e venda junto ao RGI, o comprador deverá apresentar também a guia de ITBI paga e as certidões negativas. É necessário que, logo no início da negociação, fique bem definido de quem será a responsabilidade quanto ao pagamento das despesas com certidões. Muitas vezes o comprador não entende e não aceita quando é solicitado a retirar certidões em nome de outra pessoa, no caso, o vendedor. Assim, é fundamental que no início do contrato de compra e venda isso fique bem claro, até porque o comprador terá despesas com o pagamento do RGI, certidões negativas e com a Caixa, que cobra as taxas bancárias pela lavratura do Instrumento Particular.
O vendedor deve abrir uma conta na Caixa Econômica, onde será depositado o valor do financiamento, que ficará bloqueado até a apresentação do RGI. Esse valor pode, e deve, ser aplicado para render juros e não ocorrer perdas no caso de possíveis demoras cartorárias.
Nossa empresa está preparada, com profisisonais qualificados para fornecer toda a orientação e suporte necessário na compra e venda através de financiamento junto à Caixa Econômica. No que precisar, entre em contato.
Azenil C Filho